Entendendo o espiritismo passo a passo

== publicidade ==

Entendendo o espiritismo é possível compreender muitas das falácias populares e não temer os irmãos desencarnados, em muitos casos buscando nossa ajuda.

Se você perguntar há cinco pessoas diferentes o que é espiritismo e nenhuma delas tenha conhecimento sobre a doutrina possivelmente obterá cinco respostas diferentes. A religião lançada por Allan Kardec na França no século 19 ainda é muito nova na sociedade e é normal geral dúvidas. Mas para quem tem interesse é simples buscar conhecimento e ir entendendo o espiritismo.

Entendendo o espiritismo: O que é o espiritismo?

Alguns definem o espiritismo como religião e outros como doutrina. O próprio O Livro dos Espíritos define o kardecismo como de tudo um pouco. Ao seguir entendendo o espiritismo é preciso ter em mente que ele atende aos dois. É tanto uma religião como uma doutrina.

A religião é a crença na existência de um poder maior. De um criador de todas as coisas, uma força oculta tanto guiando como auxiliando o homem em sua jornada. Resta ao homem lhe dar obediência e servir ao seu princípio de criação. Seguindo este conceito universal o espiritismo é religião porque acredita em um Deus como criador do universo, de todos os espíritos e guia para seguir a jornada em busca do auto conhecimento e elevação moral.

O que é o espiritismo?

O conceito de doutrina é um pouco mais amplo. Significa um conjunto de ideias difundido por um grupo o qual as segue de forma sábia e condizente. Por isso também podemos afirmar que todas as religiões são uma doutrina(mesmo algumas acreditando não ser) porque todas difundem um agrupamento de ideias para seus seguidores. Isso não as torna maiores ou menores que as outras, ou mais importantes, apenas iguais perante um conceito.

O espiritismo é uma religião criada no século 18 por seu precursor na bibliografia, o estudioso, cientista e pedagogo Allan Kardec. Por ter menos de dois séculos de existência é considerada uma religião moderna, uma doutrina diferenciada e ainda em expansão.

O espiritismo não usa a Bíblia como livro base

Um dos pontos importantes para seguir entendendo o espiritismo é sobre o uso a Bíblica. Muitas religiões cristãs (que acreditam em Jesus Cristo como salvador e em alguns casos como um Deus) usam o livro deixado de herança para a humanidade como livro base para buscar todo o conhecimento. Como base o espiritismo faz uso das obras de Allan Kardec lançadas em meados de 1800.

Não entenda mal. A Bíblia não é menosprezada pelos espíritas. Muito pelo contrário. Seu valor histórico é indiscutível e sempre foi e será um livro lembrado, um dos mais importantes da humanidade. Ele conta a história e marca a vivência de Jesus Cristo, um dos maiores médiuns que já passou por nosso planeta. Mas para a doutrina seu valor histórico é muito mais importante.

A Bíblia foi escrita pelos apóstolos após o desencarne de Jesus. Homens de boa fé e seguidores de Jesus, os quais vivenciaram muitas as experiências mediúnicas e relataram em seu livros unidos em uma única obra. A visão dos acontecimentos dos espíritas é que é um pouco diferente e por isso o livro não é usado como base primordial de consulta.

Entendendo o espiritismo O espiritismo não usa a Bíblia como livro base

Um dos pontos mais importantes para seguir entendendo o espiritismo é que livros sem orientação espiritual são escritos por homens. São sua visão de acontecimentos baseados em conhecimentos um pouco primários sobre a existência de espíritos, médiuns e a influência dos irmãos desencarnados entre os vivos. A visão do que se chama de milagre hoje é visto por quem entende mais da doutrina sobre cirurgias mediúnicas.

Durante a passagem de Jesus pela Terra seria extremamente confuso falar de espíritos desencarnados, duas ou mais vidas de um espírito e outros conceitos os quais conhecemos tão afundo hoje. As revelações sobre a vida após a morte do corpo material eram limitadas e as parábolas eram necessárias. As pequenas estórias e mensagens poéticas ditas por Jesus a seus discípulos era como a sociedade da época poderia compreender questões profundas sobre perdão, amor ao próximo e amar a Deus e ao próximo como a si mesmo.

Em sua época Jesus representou um avanço extraordinário sobre os conhecimentos além do plano terreno. Mas há limitações na Bíblia a qual já podemos compreender em suas revelações hoje. Os ensinamentos deixados por Jesus serão sempre válidos para a humanidade mas não é mais necessário interpretar tudo ao ‘pé da letra’ como era feito anteriormente.

Existe vida após a morte e uma vida plena sem o corpo

Entendendo o espiritismo mais afundo é possível compreender a não necessidade de se prender tanto ao corpo material. O espírito é criado por Deus para servir ao seu propósito de povoar e evoluir em busca da vida plena. Mas isso não acontece na Terra. A ocupação de um corpo material e consequentemente sua estadia neste ou em outros planetas é apenas algo temporário. A ser aproveitado ao máximo com boas ações e buscando sempre a evolução moral. Mas temporário.

O espírito é formado de energias as quais não se conhece seu substrato ainda no plano terreno. Não temos um nome para tudo ainda no mundo espiritual e nem conhecemos os diversos tipos de matérias possíveis. Talvez um dia. Mas não por agora. Caso fosse necessário já teria sido revelado pelos orientadores espirituais.

Como energias o espírito é imortal e eterno e não necessita ocupar um corpo. A ocupação de uma matéria é apenas um privilégio concedido por Deus para a evolução da moral em busca da perfeição. Como seres simples e ignorantes cometemos erros e podemos voltar quantas vezes for necessário para repará-los. A isso se chama reencarnação.

entendendo o espiritismo Existe vida após a morte e uma vida plena sem o corpo

Mas a ocupação da matéria não é necessária. O espírito é imortal, apenas o corpo padece porque possui uma vida útil e limitada. Pode ser de duas décadas ou mais na contagem de tempo terrena. Mas é limitada e em algum momento o espírito deixa o corpo. A isso chamamos desencarnação. Mesmo com o sofrimento dos entes queridos e familiares ainda encarnados, o espírito vive pleno sem o corpo e pode ou não voltar a encarnar.

Outro conceito muito interessante de ser analisado é a questão “tempo”. Quando se vai  entendendo o espiritismo é comum questionar quanto tempo uma alma passa para reencarnar. A resposta? Não existe um tempo determinado. Vai da evolução e necessidade de cada um. Caso tenha alcançado a sua evolução moral plena o espírito ganha o direito de viver entre seus iguais no plano espiritual e pode voltar em missões para um corpo material ou nunca voltar.

== publicidade ==

O que para um humano parecem séculos são poucas horas no plano espiritual. Não há dias e noites nem a necessidade de alimentação ou outras manias do corpo material. O ser orgânico para funcionar necessita de alimentos sólidos, líquidos e exercícios físicos. O espírito não. E como não dorme também não se contam dias e horas como na Terra. A contagem de tempo é diferenciada e não há como contar da mesma forma.

É preciso ajudar ao próximo sempre

“Fora da caridade não há salvação”. Quem está entendendo o espiritismo já deve ter cruzado com este que é um dos princípios da doutrina. Somos seres de energias criados pelo mesmo Pai, significando sermos todos irmãos e servindo ao mesmo propósito. Logo, todos devemos nos amar e nos unir em busca de passar por espiações e provas da melhor forma possível.

Aquele irmão desempregado e pedindo esmolas na rua é seu próximo, fruto das mesmas proezas divinas e necessita de ajuda tanto quanto o irmão materno. Os laços parentais são apenas convenções sociais terrenas por ocupar um corpo material. Para organizar a sociedade criaram-se os laços de sangue. Mas por muito anos isso não existia nas tribos neandertais.

entendendo o espiritismo É preciso ajudar ao próximo sempre

Laços familiares como pai, mãe e filho são bem justos na experiência de encarnação. Mas são compreendidos mais afundo porque quem segue entendendo o espiritismo ou quem abandonou o corpo material. O básico é: somos todos irmãos filhos do mesmo pai e por isso devemos sempre amar uns aos outros. Os parentes terrenos são apenas convenção social. Criamos apego, intimidade e carinho. Mas devemos nutrir os mesmos sentimentos por irmãos necessitados.

Os centros espíritas costumam manter muitos trabalhos de caridade. No Brasil o mais conhecido é a Campanha do Quilo, arrecadação das casas espíritas aos domingos em portas de residências, sinais de trânsito ou outros lugares (a periodicidade vai de cada casa). A finalidade é arrecadar alimentos ou verbas para doações.

Outros trabalhos fixos na casa ajudam bastante ao próximo. Mas não devem limitar o seguidor da doutrina. A sopa aos necessitados, visita em hospitais ao enfermos, evangelização e outros são exemplos de trabalhos fixos. Mas não a única forma de ajuda. Cada um deve ajudar como pode e querer de coração fazer o bem a um irmão.

Espíritos não são assombrações e não precisam ser temidos

Muitos relatos se somam a narrativas assustadoras de aparições de irmãos desencarnados como sendo algo terrível.  Entendendo o espiritismo e sabendo o que acontece com o espírito quando abandona o corpo material muitos deixam de temer e até apreciar a visão de um irmão desencarnado. Ele pode ser um médium, um grande privilégio, ou ter o direito de falar com um ente querido.

Ao deixar o corpo o espírito perde suas limitações. Deve viver no plano espiritual com seus iguais. Mas pode navegar por muitos mundos, em especial quando se trata de espíritos evoluídos. Em muitos casos voltam para acalentar entes queridos que tanto sofrem com o desencarne. É uma visão privilegiada um novo encontro com um pai ou irmão no plano terreno e não há porque temer.

entendendo o espiritismo Espíritos não são assombrações e não precisam ser temidos

Mas muitos espíritos voltam de fato perturbados. Por não terem conhecimento sobre a doutrina ou não seguirem  Entendendo o espiritismo quando tiveram oportunidade e seu apego com a carne não compreendem o que de fato acontece quando o espírito abandona a matéria. Ficam presos ao corpo e aos seus entes queridos buscando ajuda para compreender seu novo estado.

Entendendo o espiritismo o membro da casa espírita consegue orientar o seu irmão após o desencarne. Pode lhe dar uma palavra de conforto, tirar dúvidas ou orar por ele para encontrar o caminho de sua evolução moral.

Não existe um dia do ‘grande julgamento’

Esta afirmação pode deixar alguns bem tristes por guiarem toda a sua vida esperando serem julgados por Deus. A existência de um julgamento esbarra em muitos princípios do espiritismo básicos e inverdades difundidas por outras doutrinas.

Uma boa dica para seguir entendendo o espiritismo e o conceito de salvação é ler a obra O Céu e o Inferno, de Allan Kardec. No livro é possível entender que de fato não existe um grande lugar nas nuvens esperando para receber os mortos ou uma grande chama acesa para os pecadores. Também não há uma avaliação de atitudes por listas, o ‘grande julgamento’ tão temidos por alguns.

Cada um é responsável por trilhar o próprio caminho rumo à evolução ou a necessidade de mais reencarnações para passar por espiações e provas. Deus dá a todos os seus filhos o livre arbítrio e com eles todos podem tomar decisões, sejam elas benéficas ou não. Em caso de atitudes negativas as quais não contribuem para e evolução moral há a oportunidade de buscar um novo caminho, aprender com seus erros através da reencarnação.

Aprendizado

Os erros e acertos de uma experiência ocupando um corpo material não são somados em uma lista e avaliados para só então saber qual caminho o espírito vai seguir. Ao desencarnar o espírito vai para colônias para ser orientado e ajudado ou para locais diferenciados dependendo do seu grau de evolução. O umbral seria o local mais parecido com o inverno. Mas não há um julgamento para isso.

São suas escolhas as determinantes para de onde e como se vai viver. Em muitos casos o espírito escolhe por qual provação passará na próxima oportunidade de reencarnar como forma de se redimir por seus erros. Pode querer voltar como filho de alguém a qual fez muito mal em outra encarnação para reparar seus erros.

Para entender um pouco mais sobre a doutrina, acompanhe nosso site!

Referências:

  • Livro dos Médiuns
  • Livros dos Espíritos
  • Revista Espírita

0 votes

One thought on “Entendendo o espiritismo passo a passo

  1. Adorei esse artigo. Estou muito satisfeita em proceguir mais conhecimento.parabens pelo artigo piblicado.gostaria de ter muito mais oportunidade de proseguir e estudar com vcs .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Reforma Íntima DEFINITIVO