Exercícios para desenvolver a mediunidade de psicografia por Kardec

  • Curso Espírita
  • Curso Espírita
  • Curso Espírita
  • Curso Espírita
  • Curso Espírita
  • Curso Espírita
  • Curso Espírita
  • Curso Espírita
  • Curso Espírita

Exercícios para desenvolver a mediunidade, tem o objetivo de trazer esclarecimentos sobre a mediunidade de psicografia por Kardec. As orientações seguem o Livro dos Médiuns. Entre os assuntos abordados neste texto e que irão esclarecer as suas dúvidas estão:

  • O que significa a mediunidade de psicografia por Kardec?
  • Argumentações segundo Kardec para desenvolver a mediunidade de psicografia;
  • Tipos de médiuns psicógrafos;
  • Recomendações para começar a psicografia;

Exercícios para desenvolver a mediunidade. O que significa a mediunidade de psicografia por Kardec?

exercícios para desenvolver a mediunidade
Mediunidade e Psicografia

Trazemos uma frase de Allan Kardec muito própria sobre o assunto que iremos tratar neste texto e que ai abordar os exercícios para desenvolver a mediunidade:

“Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium. Essa faculdade é inerente ao homem; não constitui, portanto, um privilégio exclusivo. (…) Pode, pois, dizer-se que todos são, mais ou menos, médiuns. (Allan Kardec, O Livro dos Médiuns, capítulo XIV).

Ou seja, na mediunidade existem exercícios que podem ser desenvolvidos. Um deles é psicografia. É muito comum se recordar a Chico Xavier que desenvolvia este fenômeno e chamava a atenção das pessoas. Embora nem todas as pessoas possam ser médiuns de psicografia, aquelas que possuem a aptidão para tal faculdade podem estudá-la e desenvolvê-la. Certos médiuns escreverem sob a ação de Espíritos. Quem a possui é chamado de médium psicógrafo ou escrevente.

No capítulo XV (15), Allan Kardec afirma que dentre todas as formas de comunicação mediúnica, a psicografia (escrita manual dos espíritos através das mãos dos médiuns) é a mais simples, agradável e, principalmente, a mais completa. Sendo assim, a mediunidade é o caminho pelo qual a mensagem do Grande Espírito Criador chega.

Argumentações segundo Kardec para desenvolver a mediunidade de psicografia

Allan Kardec no livro dos Médiuns passa as argumentações necessárias para quem quer desenvolver a mediunidade, ou seja de forma mais clara os exercícios para desenvolver a mediunidade. Além de psicografar, você pode com ela ampliar as suas possibilidades e potencialidades diante da vida. Seja na tomada de decisões, qual caminho seguir, saída para alguma situação. Você pode ajudar a vocês mesmo e aos outros.

“Todos os esforços possíveis devem empreendidos no desenvolvimento da psicografia, pois dentre todas as faculdades mediúnicas, é ela que permite uma melhor comunicação dos espíritos conosco, através de uma relação permanente e regular”.

“É através da psicografia que os espíritos revelam melhor a sua natureza e o seu grau de evolução, e com facilidade podem expressar seus pensamentos e sentimentos mais íntimos, se assim permitirmos”.

 “Quando uma pessoa está escrevendo, sua mente consciente busca informações contidas no inconsciente para ordenar o fluxo criativo, e uma vez que a influência dos espíritos sobre os médiuns se dá através da mente inconsciente, a psicografia se mostra como o método mais fácil do espírito comunicante estabelecer uma sintonia com o médium escrevente”.

“Quando se trata de racionalizar e dar vida as ideias, é muito mais fácil e confortável fazê-lo por intermédio da escrita do que da fala, e é este o motivo de os grandes homens e pensadores do nosso tempo preferirem elaborar seus grandes discursos públicos por escrito”.

“Trazendo este conceito ao universo da mediunidade: as mensagens escritas através da psicografia têm um maior valor e mais mensurável, justamente pelo fato de poderem ser examinadas de forma mais abrangente. Desta forma, pode-se analisar, investigar e entender melhor os pensamentos e intenções do espírito que se comunica”.

exercícios para desenvolver a mediunidade
Exercícios para desenvolver a mediunidade

Tipos de médiuns psicógrafos

Há seguir apresentamos os tipos de médiuns psicógrafos. Conhecendo quais tipos são é que fica mais fácil fazer os exercícios para desenvolver a mediunidade. Conheçam quais são:

== publicidade ==

Mecânico: se caracteriza pelo fato de movimentar a mão, escrevendo sob a influência direta do espírito, com uma impulsão completamente independente da sua vontade, que avança sem interrupção enquanto o espírito tiver alguma coisa a dizer.

O médium fica totalmente passivo. No Brasil, destaca-se o trabalho de Francisco Cândido Xavier, em Uberaba, MG.  Ou seja, é o fato de movimentar as mãos escrevendo sob a influência direta dos Espíritos, sem interferência da própria vontade.

Intuitivo: o médium intuitivo age como um intérprete para transmitir o pensamento do espírito; por isso, precisa compreendê-lo, a fim de traduzi-lo fielmente. Esse pensamento, não é dele, mas passa através do seu cérebro. É exatamente esse o papel do médium intuitivo. Eles precisam compreender o pensamento sugerido, assimilá-lo, para depois transmiti-lo revestido com suas próprias ideias.

Semi-mecânico: são aqueles que sentem a mão ser movimentada, mas ao mesmo tempo têm consciência do que escrevem. O médium sente a mão impulsionada, sem que esta seja sua vontade, mas ao mesmo tempo tem consciência do que escreve, à medida que as palavras se formam. O pensamento aparece antes ou após da escrita. Também pode ocorrer ao mesmo tempo. Estes médiuns são os mais numerosos.

Recomendações para começar a psicografia e exercícios para desenvolver a mediunidade

Se você tem o intuito de desenvolver a psicografia, Allan Kardec recomenda os seguintes passos e fazer os exercícios para desenvolver a mediunidade:

A prece de abertura deve ser feita em nome de Deus e dos bons espíritos desta forma:

“Rogo a Deus todo poderoso permitir a um bom espírito vir a comunicar-se transmitindo seus pensamentos. Rogo também a meu anjo guardião que me assista e que afastem de mim os espíritos mal intencionados”.

Ele também afirma que você saberá a hora de terminar. Deite o lápis e agradeça a Deus por esta oportunidade de comunicação.

– A ponta do lápis deve manter-se apoiada no papel, sem oferecer resistência aos movimentos; não tenha nada em sua mão (anel, pulseira etc., que ofereça obstáculo ao seu movimento). Para a escrita mediúnica é indiferente que se use caneta ou lápis.

É válido ressaltar que as obras de Allan Kardec não tratam de religião, especificamente. Trata-se muito além! São instruções técnicas sobre a vida dos espíritos, como eles agem, para onde vão, de onde eles vêm e assim por diante. Porém, a melhor maneira de sabermos se uma pessoa tem ou não capacidade para escrever sob a influência ostensiva dos Espíritos é submetê-la à experiência.

Allan Kardec afirma em O Livro dos Médiuns, que todos os esforços devem ser feitos no sentido de desenvolvê-la. Além disso, trata-se da mediunidade mais fácil de ser desenvolvida, pois que seu mecanismo de sintonia é facilitado pelo automatismo proveniente do processo de escrita. Deixamos assim uma frase de Kardec para ajudar a finalizar o nossa reflexão sobre o assunto:

“Tudo está em observar com cuidado e isso todos podem fazer nós, desde que se não limitem a observar efeitos, sem lhes procurarem as causas. Se a nossa fé se fortalece, de dia para dia, é porque compreendemos. Tratai, pois, de compreenderdes, se quiserdes fazer prosélitos sérios.” ALLAN KARDEC “O LIVRO DOS MÉDIUNS” – item 149.

Sou Leonardo, idealizador do blog Canoro e quero reiterar o meu convite para continuar acompanhando os artigos que são baseados em trechos dos livros de Allan Kardec.

0 votes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Reforma Íntima DEFINITIVO