INSTINTO E INTELIGÊNCIA | A Gradual Transição do Espírito Conforme o Espiritismo

== publicidade ==

Instinto e inteligência estão ligados ao homem enquanto espírito e ocupante de um corpo material. Um difere do outro e ambos são responsáveis pela evolução social e moral do espírito.

É sabido da maioria das pessoas haver uma separação nas atitudes humanas. Podemos separar nossas ações em duas: instinto e inteligência. Uma parte da nossa consciência é totalmente ciente de duas ações e tomas a decisões com ciência de seus atos. Enquanto outra a parte não. Tanto a ciência como a doutrina espírita separam os dois conceitos que valem a pena ser estudados para aprofundar mais o conhecimento.

O homem é um animal racional

“O homem é um animal racional”. Esta frase todos já ouvimos durante os estudos de ciências naturais. O homem é analisado pela ciência como não apenas um animal inteligente como o único animal racional povoando o Terra. Seria isso verdade?

Durante as centenas de anos de estudos do corpo material o homem chegou a um resultado forte: somos os seres vivos no planeta com maior inteligência. O Homo Sapiens, segundo a classificação humana para a versão bípede a qual nos encontramos, é dotado de uma inteligência insuperável pelas outras espécies.

Basicamente o que nos separa dos outros animais é apenas a nossa capacidade de tomar decisões em busca da evolução. Seria neste ponto para a ciência onde instinto e inteligência se separam de forma clara e vital para a sobrevivência da espécie. Enquanto os outros animais ditos irracionais buscam apenas a sobrevivência com instinto, o homem busca a evolução para perpetuação da espécie com um raciocínio lógico incomparável.

Instinto e inteligencia - O homem é um animal racional

Em termos fisiológicos não somos muito diferentes de outros mamíferos. Crescemos, procriamos, protegemo por instinto nossas crias e buscando sempre a sobrevivência. Isso também os macacos fazem (os mais comparados com os homens pelos polegares retráteis), os leões, as girafas, as zebras, dentre outros. Também podemos alimentar nossas crias enquanto ainda não podem sobreviver sozinhas e protegemos com ‘garras e dentes’ os seres gerados por nós.

O grande diferencial estaria no raciocínio lógico o qual rege nossas atitudes e decisões. Nossas decisões são muito separadas do instinto e inteligência. São baseadas em benefício próprio em alguns casos, buscando o enriquecimento, a facilidade da mão de obras e outros conceitos morais não existentes entre os animais. Na visão espírita os animais são espíritos sem o mesmo grau de evolução e que não se tornarão espíritos evoluídos mas isso é um outro conceito para ser estudado em outro artigo.

 

Instinto e inteligência na visão espírita

A doutrina espírita não difere da ciência quando separa instinto e inteligência. Os dois são partes do processo de evolução e estão presentes nos espíritos desde a sua criação mas com uma ligação com a moral importante de ser analisada.

 

Audiobook A Gênese, de Allan KardecInstinto e inteligência na visão espírita caminham lado a lado. Segundo o livro A Gênese, de Allan Kardec (uma das obras mais importantes para entender conceitos fundamentais e já disponível em áudio) o instinto é “a força oculta que solicita os seres orgânicos a atos espontâneos e involuntários, tendo em vista a conservação deles.” São os nossos atos totalmente reflexivos, os quais não refletimos à respeito e acabamos por agir “por impulso” como se usa na linguagem informal.

O instinto é o que nos une aos animais irracionais. Assim como as plantas buscam a luz para seus processos químicos e os ursos procuram um lugar aquecido para o período de hibernação, buscamos a sobrevivência ou auto defesa com o instinto. O instinto é algo tão natural que pode ser notado em plantas. Os galhos se viram para buscar a luz durante o dia de forma clara. As trepadeiras buscam ganchos em parede para evoluir no seu desenvolvimento.

É comprovado pela ciência e pelo espiritismo que o instinto domina as primeiras fases do homem. É quando ele começa a caminhar, buscar alimento para saciar sua fome, chorar pedindo proteção dos pais, dentre outros comportamentos acompanhando a infância.

Instinto e inteligencia - Instinto e inteligência na visão espírita

Já a inteligência é algo muito mais complexo. Instinto e inteligência na visão espírita são completamente diferenciados porque são gerados em pontos diferentes do homem. A Gênese traz a seguinte definição: “A inteligência se revela por atos voluntários, refletidos, premeditados, combinados, de acordo com a oportunidade das circunstâncias. É incontestavelmente um atributo exclusivo da alma.”

Para Twittar:

“A inteligência se revela por atos voluntários, refletidos, premeditados, combinados, de acordo com a oportunidade das circunstâncias. É incontestavelmente um atributo exclusivo da alma.”

A grande diferença na visão espírita está de onde vem cada um deles.  Instinto e inteligência na visão espírita possuem fontes diferentes. Enquanto o instinto vem da parte carnal e da sobrevivência da raça, a inteligência é apenas da alma. Logo, os seres sem alma como as plantas não podem possui inteligência.

A inteligência na visão espírita

Instinto e inteligência andam juntos tanto enquanto estamos encarnados como enquanto somos apenas espíritos. Imagine um homem apenas agindo com atitudes irracionais, apenas protegendo suas crias e gerando mais filhos. Nunca chegaríamos ao estágio de evolução de produzir o próprio fogo ou construir edificações elaboradas como chegamos com a humanidade.

== publicidade ==

A grande diferenciação mesmo está em como fazemos uso dos dois. Para a doutrina espírita seria o instinto sempre de conforto e confiança. Para a sobrevivência do corpo e da espécie todos agimos de forma instintiva na auto defesa, na busca de proteção nos dias frios ou se preparando para grandes desastres. Esses atos considerados ‘maquinais’ refletem apenas a proteção pessoal e por isso seriam muito mais confiáveis e seguros.

Mas na evolução do espírito temos um entrave: se aceitamos que o instinto vem além da matéria, então poderíamos afirmar que a matéria é inteligente? Um bom exemplo está na própria história do homem. Em muitos momentos foram tomadas decisões consideradas inteligentes para o seu grau evolutivo de raciocínio. Como explicar esse fenômeno?

Os espíritos de luz durante os estudos de Allan Kardec para a produção do pentateuco explicaram. Um dos diferenciais é que o instinto é algo natural do homem enquanto a inteligência é o que leva adiante. Contudo, Instinto e inteligência caminham lado a lado em qualquer ato. Ao caminhar o homem coloca um pré à frente do outro com instinto. Mas quando acelera pensando em chegar mais rápido em um compromisso já estamos falando da inteligência entrando em ação.

No Livro dos Espíritos os irmãos espirituais deixam claro para Kardec que  Instinto e inteligência são diferentes. Um corpo pode viver sem inteligência mas não sem instinto. Um grande exemplo são os homens acamados em hospitais. Muitos estão com morte cerebral internados e podem durar meses ou ano neste estado sem dominar seus atos. Contudo, o corpo continua respirando, em suas atividades fisiológicas de forma natural.

Lei de conservação espiritismo evangelização

Enquanto ser vivo ocupando um corpo material somos formados por  Instinto e inteligência. Em alguns o instinto está em maior proporção, fruto de seu grau de evolução moral, enquanto em outros a inteligência se sobrepõe. Nos dois casos a reforma íntima e suas tendências morais o guiam rumo à evolução.

Mas ainda existe outro conceito que norteia a encarnação de um espírito. É a lei de conservação, conhecida entre os cientistas como a preservação da espécie. Você concorda que sempre buscamos o melhor para sobreviver, não é mesmo? Seja o melhor emprego, a melhor casa para dormir aquecido, a melhor alimentação e tudo buscando a qualidade de vida. Essas atitudes são em parte fruto do ego e em outra o desejo de perpetuar a espécie.

A Lei de conservação espiritismo evangelização é tida pelo irmão de ideal espírita mais evoluído como algo instintivo do homem. É a ideia de manter-se vivo no planeta Terra e é muito mais impulso que uma ação racional do homem. As formas mais simples de vida na Terra buscam a sobrevivência. Quando um urso entra em processo de hibernação durante invernos rigorosos é seu organismo agindo de acordo com a Lei de conservação espiritismo evangelização.

Instinto e inteligencia - Lei de conservação espiritismo evangelização

Nos homens podemos acompanhar a Lei de conservação espiritismo evangelização em seus gestos e atitudes ao longo de sua encarnação. A exploração da terra, busca de conversação do fogo, busca de regiões habitáveis para construção, dentre outros exemplos, são provas do instinto de conservação da espécie. Note que não estamos aqui falando do enriquecimento com esta exploração de terrenos ou os preços, frutos do sistema social, apenas da busca por sobrevivência.

A Lei de conservação espiritismo evangelização é também vista em ação na propagação dos conceitos de viver de acordo com as leis divinas. O irmão de ideal espírita costuma ensinar a seu filho os conceitos do evangelho para evitar seus erros ao longo dos anos mesmo enquanto criança através de palestras e evangelização infantil no centro espírita. Isso é também uma forma de como perpetuar a espécie.

  • Lei de destruição

A briga entre instinto e inteligência sempre esbarra nas convivências terrenas e em muitos atos considerados dúbios. O homem possui com sua inteligência o livre arbítrio de agir como quiser e isso lhe dá o poder tanto de construir como de destruir. Ele pode erguer uma floresta como pode acabar com uma com seus artefatos.

A essa capacidade de destruir temos no espiritismos um conceito chamado de Lei de destruição. Para a doutrina a destruição é necessária para acontecer o renascimento e as mudanças. Faz parte da evolução moral do homem. Um dos maiores exemplos é a povoação da terra. Merece uma atenção especial porque foi necessária a destruição de áreas verdes para a habitação. Destruição é necessária e está de acordo com as leis divinas.

A destruição é necessária para a evolução e tanto o criador como as leis espirituais concordam com isso. A Lei de destruição serve para forçar o homem a recriar a matéria ou dar espaço para a natureza trabalhar de sua forma na busca da evolução. Até mesmo as plantas se extinguem de acordo com as condições climáticas para uma nova versão mais evoluída. Para assim se perpetuar enquanto espécie.

A destruição

O problema da destruição é quando esta é causada pelo homem. Cada vez mais temos exemplos tanto do homem destruindo o meio ambiente como a outros homens. Isso esbarra no princípio de preservação e pode gerar danos. O espiritismo explica.

Segundo as leis divinas o homem possui direito à destruição limitado. Ele pode sim fazer uso do meio ambiente, dos animais e vegetais apenas para a sua sobrevivência. Não é errado, portanto, alimentar-se de outros animais para buscar a sua nutrição. O erro estaria em tirar a vida de outro ser humano apenas pelo belo prazer.

Apesar de no espiritismo não haver um ‘grande julgamento’ como propagado em outras religiões, há uma avaliação de atos e atitudes de acordo com a  instinto e inteligência. Pode um homem tirar a vida do outro em prol da sua? Se for por pura sobrevivência sim. Se for em uma situação de risco é aceitável e avaliado como apaziguante pela equipe espiritual esse tipo de situação.

Contudo, fere a moral e a ética comportamentos como assassinato. Isso em nada tem relação com a Lei de destruição. É um desvio de conduta moral avaliado pela esquipe espiritual como necessidade de evolução. Será avaliado em tratamento após abandonar o corpo material e a necessidade de passar por espiações e provas em busca da evolução.

Estudar A Gênese em Áudio

Conhecer os conceitos básicos da doutrina é de extrema necessidade para o irmão de ideal espírita. Até o momento as melhores formas são palestras nas Casas (centro espírita) ou na literatura deixada como herança do francês Allan Kardec. O livro A Gênese, um dos mais importantes do pentateuco, é de ampla ajuda para conhecer mais sobre instinto e inteligência. Além de outros conceitos fundamentais para conhecer a doutrina e a vida além do corpo material. Já está disponível em versão de áudio aqui.

conhecer a obra em áudio

Mas é muito mais importante explorar outros conhecimentos para entender mais mais sobre a doutrina, a criação do homem e os princípios que regem a convivência entre seres. Estudando a A Gênese em áudio clicando aqui, é possível compreender melhor os princípios básicos da doutrina para seguir em um estudo direcionado e mais aprofundado em outras obras do pentateuco. Acompanhe também nosso site para ficar por dentro dos artigos sobre a doutrina espírita.

0 votes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Reforma Íntima DEFINITIVO