O que é espírita kardecista? Existe doutrina espírita kardecista?

//O que é espírita kardecista? Existe doutrina espírita kardecista?

Alguns defendem, alguns são contra o termo espírita Kardecista, e nós algumas vezes ficamos confusos se existe doutrina espírita kardecista concorda? E, se existe, o que é espírita kardecista? 

Ser espírita é, sobretudo, dedicação. Dedicação ao bem, ao trabalho e ao estudo. Na obra “Dimensões da Verdade”, o espírito de Joanna de Ângelis, através do médium Divaldo Pereira Franco, transmitiu a lição: “Ler ou estudar são hábitos. O espírita não pode prescindir do estudo. Estudo também é trabalho”. Sendo assim, é essencial conhecer os valores e a história da Doutrina para evoluir como espírita e, cada vez mais, agregar conhecimentos na nossa jornada espiritual. Um dos tópicos importantíssimos no estudo do espiritismo é o questionamento: existe doutrina espírita kardecista? E, se existe, o que é espírita kardecista? Essas dúvidas, muito frequentes nas Casas Espíritas e outros lugares de estudo, são importantes porque ajudam a entender o espiritismo e sua evolução no Brasil, uma nação com uma história bastante singular, fruto das diversas influências filosóficas e religiosas que fazem parte do país.

a doutrina espírita kardecista - Jesus

A doutrina espírita kardecista – Jesus, Chico Xavier, Bezerra de Menezes, Allan Kardec

Nos últimos anos, o termo “espírita kardecista” se popularizou no Brasil e, hoje, pode-se arriscar a dizer que só é usado no nosso país. A história do espiritismo se mescla com a trajetória de Allan Kardec, um cientista descrente que, com o tempo e através do aprofundamento dos estudos mediúnicos, se tornou um dos principais codificadores da Doutrina. É por isso que a expressão “espírita kardecista” gera uma certa polêmica entre os investigadores do espiritismo. Para alguns, é redundante agregar o “kardecista” à definição de espírita, já que, sem a Codificação de Allan Kardec, dificilmente conheceríamos o espiritismo como hoje. Para outros, é importante usar o termo para distinguir o espiritismo das religiões de matrizes africanas, comuns no Brasil desde a época da Colônia.

É certo dizer doutrina espírita kardecista?

Não é nossa intenção julgar como certo ou errado o conceito e o uso de “espírita kardecista”, mas, sim, explicar o que é espírita kardecista e o que fez com que ela se tornasse bastante comum entre espíritas de todo o Brasil. Assim, estudando o termo e a definição, aprendemos sobre o espiritismo e nos dedicamos ao estudo da Doutrina, tal qual nos disse Joanna de Ângelis através de Divaldo Pereira Franco.

Saber Mais

A Doutrina Espírita

Antes de falarmos sobre o que é espirita kardecista e especificamente sobre a Doutrina Espírita Kardecista, é fundamental entender o que é Doutrina Espírita de modo geral. A Doutrina Espírita é aquela que segue os ensinamentos sobre espiritismo trazidos por Allan Kardec no final do século XVIII. Por isso, para entender o que é essa Doutrina, é importante saber um pouco sobre Kardec e sua trajetória.

Doutrina espírita kardecista

Doutrina espírita

O educador e pesquisador francês Hippolyte Léon Denizard Rivail, que ficou conhecido mundialmente pelo pseudônimo de Allan Kardec, é considerado o fundador do espiritismo. Kardec sempre esteve ligado às pesquisas acadêmicas sobre os mais diversos temas. Por intermédio de um amigo, que também era pesquisador, foi apresentado às chamadas “mesas girantes”, muito comuns naquele período.  As tais “mesas girantes” eram o que hoje chamamos de sessões espíritas, já que, na prática, significavam um espaço de comunicação entre encarnados e desencarnados.

A partir desse contato inicial com o universo mediúnico, Allan Kardec passou a frequentar assiduamente as reuniões e a interessar-se pelos fenômenos que observava nos encontros, até então inexplicáveis pela ciência. Dedicou-se, então, à pesquisa direcionada ao espiritismo. Nesse momento, adotou o pseudônimo Allan Kardec por influência de um dos seus guias espirituais, que, através da comunicação mediúnica, lhe disse que já o conhecia de outras encarnações e que, em uma delas, se chamava Allan Kardec.

Dedicação de Allan Kardec a Doutrina Espírita

Allan Kardec foi o primeiro cientista a dedicar-se inteiramente ao estudo das manifestações mediúnicas. O espiritismo é considerado uma Doutrina – por ter como base estudos empíricos integrados a valores que estão além da matéria física. Allan Kardec fez a Codificação Espírita através de cinco obras fundamentais: “O Livro dos Espíritos”, “O Livro dos Médiuns”, ‘O Evangelho Segundo o Espiritismo”, “O Céu e o Inferno” e “A Gênese”. Nessas obras, o método utilizado para codificar a Doutrina foi, basicamente, o diálogo com espíritos superiores já desencarnados. Os livros abordam temas que vão desde o surgimento da humanidade até a existência de outros mundos, as outras “moradas da casa do Pai”. O método de perguntas e respostas trouxe luz, ainda, a temas científicos, religiosos e cristãos.

Doutrina Espírita Kardecista

O termo Doutrina Espírita Kardecista é, segundo aqueles que defendem o uso do termo “espírita kardecista”, uma forma específica de nomear a Doutrina que segue os ensinamentos de Allan Kardec. Esse termo é repudiado por grande parte dos espíritas porque, de acordo com eles, não há uma doutrina espírita que não esteja infimamente ligada a Allan Kardec. Em outras palavras, aqueles que não aceitam o uso do “kardecista” para se referir à Doutrina Espírita acreditam que não existem vertentes ou desdobramentos dentro do espiritismo, que é único e universal. Então, por esse raciocínio, seria desnecessário – e até mesmo redundante – acrescentar “doutrina espírita kardecista” à designação da Doutrina Espírita.

Doutrina Espírita Kardecista

Doutrina Espírita Kardecista

Na Codificação feita por Kardec, não se usou o termo “kardecista” por acreditar-se que os ensinamentos e esclarecimentos nas obras estão ligados ao mundo espiritual como um todo e não à figura individual de Allan Kardec.  Além disso, a comunicação com o mundo espiritual não é um fenômeno finito e, sendo assim, até os dias de hoje continuamos a receber ensinamentos dos guias espirituais codificados através de outros médiuns além de Allan Kardec.

Ainda que o termo Doutrina Espírita Kardecista não seja uma unanimidade entre os adeptos do espiritismo, essa denominação tem se tornado cada vez mais comum – especialmente no Brasil. O uso do “kardecista” para referir-se à Doutrina Espírita surgiu da necessidade de diferenciar a Doutrina das religiões de matriz africana, como a umbanda e o candomblé, que são muito populares e tradicionais no nosso país. Para entender o que é espirita kardecista, portanto, e de onde surgiu o termo doutrina espírita kardecista e qual a sua aplicação, é necessário compreender um pouco do que são as chamadas “religiões espíritas”, especificamente no contexto brasileiro.

O que são “religiões espíritas”?

Sabemos que o espiritismo é uma doutrina. Nas palavras de Allan Kardec, o espiritismo surge da necessidade de explicar a existência humana através daquilo que está além da matéria, unindo conhecimentos científicos, filosóficos, éticos e cristãos. No Brasil, começou-se a falar sobre o espiritismo no final do século XIX. Nesse período, já havia no Brasil as religiões de matriz africana e manifestações religiosas ligadas ao candomblé e à umbanda, mas o espiritismo kardecista só surgiu oficialmente anos mais tarde. Segundo o médium Divaldo Pereira Franco, as primeiras manifestações mediúnicas reconhecidas aconteceram em Salvador, no Estado da Bahia, em 1849. Foi também em Salvador que se criou a primeira Casa Espírita oficialmente registrada, o “Grupo Familiar do Espiritismo”. O Grupo foi fundado em 1865 por Teles de Menezes. Nesse ano, também foi registrada a primeira sessão espírita no Brasil.

Como em praticamente todas as partes do Ocidente, o espiritismo no Brasil se solidificou através da influência e dos ensinamentos de Allan Kardec. Com o tempo, os livros de Kardec foram traduzidos para o português e se popularizaram entre os pesquisadores e espíritas da época. Atualmente, sabe-se que Allan Kardec é o autor francês mais lido no Brasil.

Religiões de matriz africana

A umbanda e o candomblé, ligados à tradição escravocrata que faz parte da história do Brasil, são, muitas vezes, vítimas da intolerância religiosa que, em certos momentos, também se volta contra a doutrina espírita kardecista. Numa tentativa de despir os preconceitos daqueles que desconhecem a umbanda e o candomblé, passou-se a agregar o termo “espírita” para se referir aos adeptos dessas religiões. Muitos Centros de Umbanda e Candomblé passaram a agregar o termo em seus nomes, como “Centro Espírita Estrela do Oriente” ou “Centro Espírita Umbandista Nanã e Iemanjá” e os filhos da casa passaram a se definir como espíritas umbandistas, por exemplo. Essas mudanças, que nasceram da tentativa de trazer maior legitimidade às religiões de matriz africana, foram reconhecidas pela Federação Espírita Brasileira.

O termo “religiões espíritas” não é muito utilizado, mas se refere àquelas religiões que, declaradamente, reconhecem as manifestações mediúnicas e a existência de reencarnações. No Brasil, o termo diz respeito à umbanda, ao candomblé e ao espiritismo (que, como já dissemos, é uma Doutrina). O termo “espírita kardecista” surge, então, da necessidade de esclarecer sobre qual religião ou doutrina nos referimos ao nos dizermos “espíritas”.

Na prática, embora existam muitas similaridades de pensamento entre o espiritismo e as religiões de matriz africana, há muitas diferenças entre uma e outra. A umbanda e o candomblé obedecem a uma série de rituais que não são adotados nas Casas Espíritas, por exemplo. Há diferenças explícitas nas manifestações umbandistas e o espiritismo, embora ambas reconheçam as palavras de Jesus Cristo e preguem valores como a caridade e o trabalho.

O que é espírita kardecista

Espírita Kardecista é aquele que acredita na Doutrina Espírita e nos ensinamentos trazidos por Allan Kardec. Essas pessoas compartilham exatamente a mesma crença e os mesmos valores que aqueles que se definem somente como espíritas, a única diferença é que os espíritas kardecistas têm a necessidade de esclarecer que não fazem parte das outras “religiões espíritas” e, sim, ao kardecismo (ou ao espiritismo de Kardec especificamente).

O que é espírita kardecista

O que é espírita kardecista

O termo espírita kardecista vem ganhando tanto espaço no Brasil que é bastante comum ver pessoas se referindo ao espiritismo apenas como “kardecismo” ou “doutrina espírita kardecista”. Na mídia, quando a intenção é falar sobre espiritismo, é muito comum ver notícias de jornais, filmes, novelas e textos que utilizam expressões como “kardecismo”, “casa kardecista”, “reunião kardecista” e “kardecistas” como sinônimos de Casa Espírita, Sessão Espírita e Espíritas. Por outro lado, nas obras psicografadas por alguns dos médiuns mais conhecidos no Brasil, como Chico Xavier e Divaldo Pereira Franco, é comum se referir ao espiritismo como “Doutrina Espírita” ou somente como “Doutrina”.

Espiritualismo / Espiritualista

Existe, ainda, o termo “espiritualismo” ou “religiões espiritualistas”. Essa denominação refere-se a toda e qualquer crença religiosa ou filosófica que reconhece a existência do espírito e o define como autônomo em relação à matéria. Essa corrente de pensamento, por assim dizer, surgiu da necessidade de repensar a filosofia materialista, que nega a existência da alma independente do corpo e, por consequência, não reconhece a existência de reencarnações.

São muitos os termos para conhecer e memorizar, é verdade. Mas não é difícil entender e saber usá-los de forma correta. Para evitar confusão, basta lembrar o seguinte: O que é espírita kardecista: todo espírita é um espiritualista porque reconhece a existência do espírito, mas nem todo espiritualista é espírita, por não reconhecer os ensinamentos de Allan Kardec. Ou seja: dentro do espiritualismo, há inúmeras correntes e doutrinas e uma delas é a nossa: o espiritismo.

Continuidade dos Estudos

Para sanar qualquer dúvida ou inquietação, só existe um caminho: o estudo. Se você está começando a estudar a Doutrina Espírita ou se, mesmo com anos de estudos, sente a necessidade de recordar alguns aspectos do espiritismo, sugerimos a leitura do artigo “Doutrina Espírita para PRINCIPIANTES”. Afinal, como nos ensinou Joanna de Ângelis, estudo também é trabalho.

Ser espírita – ou, se preferir, ser espírita kardecista – é manter o comprometimento e dedicar algumas horas do nosso tempo para estudar, refletir e aprender as lições dos guias espirituais. O Blog Espírita Canoro auxilia você nesse caminho, na tentativa de levar as lições espíritas de uma forma leve, comprometida e interessante. Sabemos da correria do dia a dia e das dificuldades em continuar evoluindo e aperfeiçoando os estudos espíritas. Por isso, inscreva-se no nosso canal e faça parte da nossa comunidade. Fazendo isso, você receberá lições espíritas em áudio – ideais para ouvir em casa com a família ou no trânsito – e um resumo semanal dos novos artigos do nosso site. “Espíritas, amai-vos! – eis o primeiro ensinamento. Instruí-vos! – eis o segundo”. Te esperamos!

Conhecimento, Evolução, Aprendizado

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!>

Fontes:
  • FRANCO, Divaldo Pereira. Dimensões da Verdade – pelo espírito de Joanna de Ângelis. Salvador: LEAL, 1989.
  • KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. São Paulo: IDE, 1997.
  • http://www.bibliadocaminho.com.br/

 

0 votes
2017-06-23T14:29:49+00:00
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Reforma Íntima DEFINITIVO