Os princípios do espiritismo e como eles funcionam

//Os princípios do espiritismo e como eles funcionam

Os princípios do espiritismo são responsáveis por diferenciar esta de outras religiões e ajudar na compreensão de quem quer entender mais sobre a doutrina.

Toda religião possui seus princípios, também conhecidos como ‘fundamentos’. São a base da crença daquele grupo em especial, os seguidores de uma linha de pensamento seja ela antiga ou moderna. Os princípios do espiritismo são a base da religião conhecida como ‘espírita’ ou ‘kardecista’ e devem ser conhecidos por quem deseja seguir a doutrina.

Saber Mais

Um dos princípios do espiritismo é que Deus existe

Para o espiritismo existe um Deus único, o criador de todos os espíritos e responsável por reger as leis do universo. Ele cria todos os espíritos como seres simples e ignorantes e permite a todos seguir em seu processo de evolução e aprendizado para a melhoria da conduta moral.

No Livro dos Espíritos (escrito por Allan Kardec e uma das principais obras da doutrina espírita) o pedagogo francês questiona no primeiro capítulo “O que é Deus?”. A resposta dos espíritos é bem simples: “Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas”. Apesar de o homem ter evoluído bastante em seus conhecimentos sobre o mundo e universo, ainda não consegue compreender a existência de Deus. Neste plano não é possível entender o que ele é e como funciona por nosso próprio nível de compreensão dos fatos ainda ser limitado.

Os princípios do espiritismo e como eles funcionam

A crença em um ser supremo é um dos princípios do espiritismo básicos compartilhados por outras religiões. Os católicos, evangélicos, mórmons e protestantes também creem. Contudo, nem todas as religiões creem em um Deus único. O jainismo, por exemplo, uma religião surgida na Índia há mais de dois mil anos, não acredita em um deus criador.

Para os espíritas a alma é imortal

A base do espiritismo é compreender que Deus criou o espírito como um ser formado de energias universais. Algumas dessas fontes não são conhecidas pela mente humana, então não é possível ter uma definição do que exatamente é formado o espírito. Ele é criado simples e ignorante e para servir a seu propósito com uma encarnação, mas não padece quando o corpo material vai embora.

Para o espiritismo a alma é um espírito encarnado. Por ser criado simples e ignorante o espírito necessita passar por um processo de evolução. Ele deve evoluir por seus próprios esforços, por isso pode reencarnar quantas vezes for necessário. O mais importante a entender dentre os princípios do espiritismo é que a vida não finaliza quando o corpo material vai embora.

A vida no planeta Terra, neste mundo o qual conhecemos, é transitória. E para viver por aqui é necessário ocupar um corpo com uma vida útil limitada. Não existe humano imortal e em algum momento o espírito deixará o corpo material, mas não morrerá junto. Continua a sua jornada juntamente aos irmãos desencarnados rumo ao progresso pessoal.

Uma das maiores curiosidades é saber quantas vidas já tivemos. Esse conhecimento não é revelado ao espírito enquanto humano ou poderia atrapalhar a sua existência na Terra. Poderia causar um enorme sofrimento, por exemplo, a um homem ou mulher saber o quanto foi amoral em outra vida e fez mal a muitas pessoas. Ou dificultar seu processo de aprendizado do perdão caso ele ou ela descobrisse que seu filho é, na verdade, um grande inimigo de vidas passadas.

A reencarnação é um privilégio para o espírito

A reencarnação é um dos princípios do espiritismo mais combatidos por algumas religiões que acreditam na vivência na Terra como única forma de existir. Este é um dos princípios do espiritismo conhecido como ‘pluralidade da existência’. O espírito pode ocupar diversas vezes um corpo material neste ou em outros mundos para completar seu processo evolutivo.

Encarnar significa ocupar um corpo material. Voltar a ocupá-lo chama-se reencarnação, uma das etapas do processo evolutivo por meio do livre arbítrio. O espírito pode reencarnar quantas vezes for necessário para adquirir conhecimento, reparar erros e seguir na melhoria de sua moral. Este é um privilégio dado por Deus para ajudar na melhoria da conduta moral de cada um.

A pluralidade das existências significa que o espírito não é limitado a uma única vivência. Ao contrário de outras religiões cristãs, quando o corpo padece, o espírita não acredita que a existência acabou ali. O espírito segue para o plano espiritual e pode reencarnar ou continuar a viver entre os irmãos desencarnados.

O determinismo de uma existência única não faz parte dos princípios do espiritismo. O espírito como ser universal e atemporal pode ocupar um corpo por quantas vezes for necessário para alcançar o estágio máximo de evolução. Assim como um estudante pode repetir quantas vezes for necessário um ano na escola para aprender o conteúdo e seguir adiante, o espírito pode reencarnar ilimitadas vezes.

Deve ficar claro: reencarnar não é ressurreição. Reencarnar sempre será em outro corpo, enquanto ressurreição quer dizer ‘voltar a viver’. O caso mais conhecido de ressurreição seria o de Lázaro.

A pluralidade dos mundos habitados

Muitos líderes religiosos pregam o conceito da Terra ser o único mundo habitado no universo. Não é verdade. Já foi revelado pelos espíritos uma enorme quantidade de outros mundos habitados por espíritos. Não com um corpo de carne e osso com a mesma vitalidade do nosso, mas outros tipos de corpos para o espírito ocupar ou viver apenas com seu perispírito.

A pluralidade dos mundos habitados significa que existem muitos outros mundos para viver ao mesmo tempo em uma mesma época. Este é um dos princípios do espiritismo também muito debatido por outras religiões e os ateus, os quais acreditam que após o corpo falecer a vida também acabou. Não creem na continuidade do espírito além da matéria.

Um dos mundos mais conhecidos na literatura espírita é Capela. Acredita-se que por lá muitos espíritos em estágio inferior de evolução migraram para a Terra em momentos especiais da nossa história como as grandes guerras e o nazismo.

Acredita-se na Terra que quase todos estejam em um estágio evolutivo semelhante. Existem alguns mais evoluídos e que se destacam, algumas vezes enviados em uma missão para ajudar uma comunidade ou grupo.

Os espíritos podem se comunicar com os irmãos encarnados

Apesar de estarem em planos diferentes, encarnados e desencarnados podem ser comunicar por meio da mediunidade. A comunicação entre os espíritos mesmo ocupando matérias diferenciadas é permitida pelas leis divinas, desde que não prejudique os irmãos encarnados. Nem todas as informações podem ser transmitidas. Uma vez fora do plano material, os espíritos possuem uma visão bem mais ampla e uma enorme quantidade de conhecimento.

Apesar de não ser um dos princípios do espiritismo, não é permitido ao espírito desencarnado interferir no livre arbítrio ou prejudicar a vivência dos irmãos enquanto ocupam um corpo material. Não podem, por exemplo, revelar informações do seu passado as quais tomam conhecimento quando desencarnam. Também não podem ajudar com previsões de futuro.

Em contrapartida o desencarnado pode agir para ajudar a confortar a dor da perda de um ente querido. É muito comum um filho voltar para a sua mãe com palavras de conforto e assim ajudá-la a superar a perda. Também pode dar conselhos a seus parentes enquanto vivo, mas nada capaz de interferir em suas escolhas ou com revelações.

Deve-se ajudar ao próximo como a ti mesmo

Todos os espíritos são criados pelo mesmo pai. Com isso somos todos irmãos, também irmãos de Jesus Cristo. E como irmãos devemos ajudar uns aos outros, mesmo não compreendendo a situação de sofrimento do próximo.

Os princípios do espiritismo e como eles funcionam

A caridade é um dos princípios do espiritismo mais propagados nos centros espíritas. Ajudar ao próximo é um dos motivadores de trabalhos em centros espíritas, sejam eles de pequeno ou grande porte. Muitos trabalhos são focados em ajudar comunidades carentes como doação de roupas, cestas básicas, leite para lactantes, dentre outros. Ajudar ao próximo é uma das formas de evolução de sua moral também.

Causa e efeito

Uma resposta do Livro dos Espíritos pode deixar um pouco mais claro esse tipo de conhecimento dos princípios do espiritismo. “Deus tem suas leis a regerem todas as vossas ações. Se as violais, vossa é a culpa. A punição é o resultado da infração da lei.”

Na física temos a lei da ação e reação: para cada ação temos uma reação em igual força em sentindo contrário. No espiritismo há o mesmo conceito com relação à causa e efeito. Se tomamos uma atitude considerada de desvio de conduta moral, gerará uma consequência e você será culpado por ela. Mais ninguém.

Nada mais é que tomar responsabilidade por seus atos. Estamos sempre colhendo frutos plantados nesta ou em outras vidas. Podemos sofrer muito nesta vida. Em alguns casos sem poder ao menos falar ou andar. Mas, com certeza, é consequência de uma atitude de uma vida anterior. Ninguém sofre apenas por sofrer. Deus é justo e não um carrasco.

Todos somos médiuns

Mediunidade significa a capacidade de se comunicar com os espíritos desencarnados. Este é um dos princípios do espiritismo porque é preciso para ser espírita, acreditar na capacidade de se comunicar com os irmãos sem um corpo material.

Ao contrário de algumas lendas urbanas, não são apenas as crianças ou algumas pessoas especiais as responsáveis por se comunicar com os espíritos desencarnados. Todos podem se comunicar com os espíritos, em especial se eles assim quiserem porque se farão presentes e visíveis.

Existem algumas pessoas mais sensíveis à presença dos espíritos e esses são médiuns com algumas capacidades especiais. Não são espíritos evoluídos. Apenas conseguem sentir com maior clareza a presença dos desencarnados. Também firmar um canal de comunicação de maneira mais viável.

Mitos sobre o espiritismo

Todas as religiões quando são mal disseminadas acabam gerando boatos. É comum pessoas que não conhecem a doutrina espírita propagarem inverdades sobre o espiritismo. Na maior parte das vezes os boatos são de membros de outras religiões as quais acreditam na sua crença como verdade absoluta. Alguns dos mitos os quais contrariam os princípios do espiritismo mais comuns são:

Nos centros espíritas podemos falar com parentes falecidos – este é um dos principais motivadores de muitos visitantes de um centro espírita. Existe a comunicação entre os espíritos e encarnados? Sim, mas não é algo constante. Não existe o chamado e resposta imediata. Pode não ser possível este tipo de comunicação.
O espiritismo é uma religião africana – alguns conceitos podem ser semelhantes. Assim como também se assemelham a religiões orientais. Mas são completamente diferentes. A confusão acontece porque algumas religiões provenientes da áfrica chamam de espíritos as suas entidades em manifestações durante alguns cultos. Mas em conceito não possuem relação com o kardecismo.
O espiritismo surgiu na França no século 19 por meio de estudos do pedagogo e cientista Allan Kardec. Não possui nenhuma relação com os rituais espiritualistas de algumas religiões africanas as quais é costumeiramente comparada como o candomblé.
Nos centros espíritas há rituais – será uma grande decepção para quem visita um centro espírita e espera mesas girando, danças e fantasias para evocar espíritos. No local são ofertadas palestras gratuitas para ampliar o conhecimento sobre a doutrina e alguns trabalhos, mas nada envolvendo rituais.
Os espíritos entram no corpo das pessoas – os filmes e alguns programas de TV ajudaram a propagar essa ideia. Mas como a maior parte de nossos leitores sabem, a lei da física mais básica é que “dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço”. Os espíritos conversam com seus irmãos encarnados como conversamos um com o outro, por proximidade, não entrando no corpo de um médium.
Allan Kardec é o Deus do espiritismo – por suas obras serem muito propagadas como base do conhecimento espírita, algumas pessoas acreditam ser Allan Kardec uma divindade para o espiritismo. Este é um erro comum de julgamento por quem não conhece a doutrina.

Os princípios do espiritismo e como eles funcionam

O francês é o pioneiro a escrever uma obra em conjunto com os espíritos. Durante reuniões mediúnicas fez uma série de perguntas e respostas aos irmãos desencanados. Reuniu com cuidado e em ordem para estudo. Lançou então o Livro dos Espíritos. É uma das obras mais lidas sobre o espiritismo no mundo. Isso faz algumas pessoas acreditarem que ele é um deus para a doutrina, uma inverdade.

O espiritismo não acredita em Deus – como já vimos a crença no Deus criador e supremo é um dos  princípios do espiritismo. Não existe outro criador e nem semi deuses no kardecismo, apenas um único Deus.

Clique aqui e conheça muito mais!

 

shadow-ornament



Entrar Para O Grupo De Membros

 seta-direitaQuero Testar! Ouça Agora e Assine! - Novos artigos e lições transformadoras!!

trofeuSou Leonardo, idealizador do Blog Canoro e quero reiterar meu convite.
Além dos artigos do blog, que são baseados nas dúvidas da nossa comunidade, temos artigos espíritas em áudio também, trechos dos livros de Allan Kardec.

  • Toda segunda-feira um resumos dos novos artigos do Portal Espírita Canoro.
  • Lições exclusivas de livros de Allan Kardec em áudio.

Conhecimento, Evolução, Aprendizado

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!>

arrow
shadow-ornament


Referências:

  • Livro dos médiuns
  • Revista Espírita
0 votes
2017-05-09T17:03:00+00:00
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Reforma Íntima DEFINITIVO