Provas de reencarnação e da vida após a morte

Tempo de leitura: 12 minutos

As provas de reencarnação são estudadas pela ciência ao longo dos anos com afinco e estão presentes em vivências cotidianas dos centros espíritas também.

A reencarnação é um dos princípios básicos do espiritismo incontestável e um dos pontos mais importantes de estudo dos kardecistas É uma necessidade do espírito para a sua evolução. Para estudo as provas de reencarnação estão disponíveis em diversas áreas e valem a pena serem estudadas.

Saber Mais

Entendendo um pouco mais sobre a reencarnação

Apesar de existir desde sempre, o termo ‘reencarnação’ foi utilizado pela primeira vez por Allan Kardec em sua obra Livro dos Espíritos. Lançado em 1857, o livro foi o primeiro de cinco voltados para os estudos da doutrina espírita. Até então não se falava de provas de reencarnação e muito menos de um espírito voltar a viver.

Até o século 19 muitas culturas e estudiosos acreditavam na possibilidade de vida após a morte e uma possível volta do espírito para o mundo dos encarnados. Contudo, nunca havia sido nomeado o termo e causou uma verdadeira revolução no mundo religioso. Afinal, batia de frente com conceitos antigos do cristianismo de haver como possibilidade apenas o céu e o inferno. Qualquer coisa diferente disso seria naturalmente contestada.

Entendendo um pouco mais sobre a reencarnação

O espiritismo define a reencarnação como a possibilidade do espírito voltar para reparar seus erros. São as espiações e provações, uma permissão de Deus para todas as suas criações poderem aprimorar sua moral e viver conforme os princípios divinos. Ao contrário do determinismo de outras religiões para o kardecismo há uma infinidade de possibilidades quando se trata de abandonar o corpo material.

A reencarnação é uma das formas do espírito evoluir. Ele nunca retroage, sempre avança em seu processo de aprendizado. As provas de reencarnação consistem em comprovar as diversas vivências de um espírito ocupando um corpo material, neste ou em outros planetas.

A principal e mais importante obra espírita a tratar do tema é O Livro dos Espíritos. Nas perguntas de número 166 a 170 os espíritos se manifestam sobre o tema respondendo a questionamentos de Allan Kardec. Outras perguntas são feitas ao longo da obra sobre a temática comprovando a necessidade em muitos casos do espírito voltar a ocupar um corpo material.

 Regressão de vidas passadas é uma das provas de reencarnação

 A reencarnação não é uma verdade apenas para o espiritismo. Muitas doutrinas também usam o ensinamento deixado por Jesus. Um dos maiores exemplos é a crença na volta do Buda, o personagem principal do budismo. Segundo a doutrina ele voltaria em alguns milênios algumas vezes e crianças já foram selecionadas ao longo dos milênios como possíveis reencarnação do guia espiritual budista.

Para a doutrina fundada por Allan Kardec no século 19 as provas de reencarnação são diversificadas. Um dos maiores exemplos está na reunião mediúnica. O encontro entre médiuns de espíritos encarnados e desencarnados é uma comprovação sem contestação da vida após a morte do corpo material e da existência de irmãos desencarnados entre nós. As informações dos espíritos sobre o passado de alguns são usadas como provas de reencarnação também.

 Regressão de vidas passadas é uma das provas de reencarnação

A regressão da memória também é uma prova que a reencarnação existe. Mas como pode uma pessoa lembrar de fatos os quais nunca vivenciou nitidamente? Alguns céticos explicam como memória associativa, fruto da criatividade e anseios humanos. A regressão pode acontecer por sugestão ou de forma espontânea uma vez que todos os conhecimentos estão guardados no perispírito.

Muitos estudiosos da doutrina espírita alertam para os perigos da regressão. Ela pode revelar fatos não agradáveis e responsáveis por mudar a conduta do indivíduo. Não fará bem, por exemplo, saber de uma vida passada na qual você foi um assassino em série ou grande ditador responsável pela perda de muitas vidas. Podem causar transtornos mentais irreparáveis, em especial para quem não conhece a doutrina espírita.

Meninos prodígios e as provas de vidas passadas

Um dos assuntos mais estudados pela ciência são os meninos prodígios. Crianças as quais nascem com uma sabedoria aquém de sua idade e capacidades físicas e mentais extraordinárias. Com cinco anos de idade um pequeno notável pode saber tocar piano com tanta maestria quanto um professor universitário. Esta seria uma das provas de reencarnação baseando-se em conhecimentos de outras vidas.

Meninos prodígios e as provas de vidas passadas

Tradicionalmente o espírito não deveria lembrar de vidas passadas. Esse tipo de conhecimento poderia atrapalhar o seu processo evolutivo. Recordando fatos anteriores e suas relações com irmãos desencarnados, as lembranças poderiam afetar seus julgamentos futuros como não conseguir perdoar alguém que lhe fez muito mal em outra vida. Contudo, acontece de algumas memórias virem à tona e algumas habilidades surgirem mesmo sem terem aprendido. Os meninos prodígios são um exemplo disso.

Alguns exemplos registrados no kardecismo de lembranças de vidas passadas como provas do espiritismo:

  • O renomado escritor francês Mery lembrava de ter estado na guerra das Gálias com o nome de Minius;
  • Juliano, o Apóstata, recordava em outra vida ter sido Alexandre da Macedônia.

Na medicina e psiquiatria um dos fenômenos estudados é a xenoglossia. São pessoas as quais nunca tiveram contato com outro idioma, mas, mesmo assim, falam fluentemente e em alguns casos escrevem também. Para o kardecismo é uma das provas de reencarnação, uma herança de vidas passadas.

Um dos casos públicos mais comentados é de uma mulher de 37 anos falando sueco fluentemente. Ela jamais teve contato com o idioma estrangeiro e falava outros idiomas sem qualquer ligação. Regressões realizadas no consultório de psiquiatra do professor Ian Stevenson fizeram a mulher de meia idade se tornar Jensen Jacoby, um camponês sueco.

Muitos relatos de jovens com conhecimentos de idiomas sem contatos são estudados por conhecedores da doutrina espírita e céticos. Os cientistas inclinados ao ateísmo creditam o feito a uma memória associativa de filmes, músicas ou mesmo pessoas falando o idioma na proximidade. Contudo, como elas saberiam interpretar e criar seu próprio diálogo? Como poderiam traduzir livremente. No máximo teriam conhecimento de algumas frases.

A regressão de memória é um dos métodos mais usados para saber sobre vidas passadas. Não é algo certo, nem sempre acontece a lembrança. Em alguns casos é comum o insucesso, em especial quando o irmão encarnado desfruta de uma vida plena de sabedoria na sua existência atual e nunca teve uma experiência de lembrança.

A literatura e mensagens mediúnicas são provas de reencarnação

As conversas entre espíritos encarnados e desencarnados ajudou a tornar a literatura espírita extremamente rica. Os livros psicografados são frutos desta comunicação constante, com muitos autores famosos. As obras retratam diversas provas de reencarnação.

O espírito Gabriel Delanne no livro A Reencarnação cita muitos casos de relações entre encarnados e desencarnados. Um dos casos é a história relatada em carta pelo casal Reyle. Após ter o filho desencarnado receberam uma mensagem espiritual de sua reencarnação em 18 meses. Sem aguardar a chegada de um novo filho a esposa engravidou novamente.

Chico Xavier

A própria literatura espírita em si é uma grande comprovação da reencarnação. Muitos dos livros são relatos de vidas passadas de irmãos desencarnados. O maior exemplo são as obras de Francisco Xavier, o maior médium espírita brasileiro e um dos grandes responsáveis por disseminar e expandir a doutrina no país. Sua parceria de mais de 30 anos com o espírito Emmanuel lhe rendeu grandes obras e um avanço sobre o conhecimento de vidas passadas.

Muitos dos livros escritos por Emmanuel e psicografados por Chico Xavier são relatos de vida passada do irmão desencarnado e mentir espiritual Emmanuel. Os maiores exemplos São Paulo e Estevão, Há 200 anos atrás e Cinquenta Anos Depois. Mas não servem apenas como provas de reencarnação. São obras para mostrar também a evolução moral do espírito, sua correção de erros e como usar melhor a sua encarnação agora. São para grande crescimento e aprendizado do leitor.

Infelizmente não é possível acreditar em todas as obras citadas como espíritas. Vale se informar na Federação Espírita Brasileira (FEB) sobre o livro e também ler um pouco mais sobre o autor. Todos podem se dizer médiuns e escrever por psicografia, mas nem todos de fato buscam a verdade. Existem charlatões em todas as religiões, então sempre é bom ficar atento na escolha de leituras.

 Provas de reencarnação em outras religiões

Como seres materialistas que somos estamos em uma eterna busca de provas de todos os assuntos ligados à religião. Muitos cientistas e até líderes religiosos já se voltaram a buscar provas de reencarnação em diversos momentos da história da humanidade e muitos fatos não explicados pela ciência.

O professor da Universidade de Virgínia (nos Estados Unidos) foi um dos interessados no assunto. Por muitos anos estudou marcas de nascença e publicou um estudo em 1993 focando em vidas passadas. Para ele muitas cicatrizes de bebês inexplicáveis eram frutos de vivências anteriores. Um dos casos de seu estudo foi uma criança turquesa que aos sete anos apresentava marcas semelhantes a buracos de bala sem causas conhecidas.

Uma obra científica publicada nos Estados Unidos também merece uma observação cautelosa. O livro Mensagens dos Mestres: explorando o Poder do Amor é de autoria de Brian Weiss, psiquiatra renomado em sua área especialista em regressões. Uma de suas pacientes se chamada Diane, uma jovem enfermeira responsável por matar seu próprio filho sufocado ao se esconder em um espaço pequeno de uma invasão de nativos.

Temendo por sua vida, Diane tentou calar seu filho com choro forte para os invasores não matarem os dois. Anos depois em uma regressão ela conta o fato. Por ironia do destino ou não, um de seus pacientes anos depois tinha os mesmos sinais clínicos (até mesmo a asma) e acabou se tornando seu segundo marido. O paciente também relatou sentir uma forte afinidade pela enfermeira sem explicação.

 Provas de reencarnação em outras religiões

Os induístas acreditam nas provas de reencarnação deixadas por seus deuses ao longo dos milênios. Seriam os grandes líderes determinados a voltar e guiar a religião para a evolução. Já alguns judeus (não todos) creem no ato de reencarnar como parte do processo de evolução moral, uma visão muito semelhante com a doutrina espírita.

A maior parte das religiões cristãs de fato não acredita na reencarnação. A exceção seria Jesus Cristo, o filho de Deus enviado para a Terra com o intuito de salvar e guiar a humanidade. O processo pelo qual Jesus passou no terceiro dia após a sua morte é conhecido como ressurreição para os espíritas e não reencarnação porque ele voltou com o mesmo corpo.

Católicos e evangélicos convergem sua crença em um ponto: não existe vida após a morte. Para essas duas religiões apenas uma vida é o suficiente para determinar o destino. As escolhas são entre ir para o céu e o inferno, o que é escolhido por Deus de acordo com a conduta no plano terreno. Se foi uma pessoa boa a ida será para o céu e se não o inferno os espera.

Caligrafia diferenciada seria um exemplo de provas de reencarnação

Não são raros os relatos de pessoas impulsionadas a escrever mensagens de uma forma diferenciada. A esse fenômeno dentro do espiritismo se chama ‘mediunidade’ em conjunto com a ‘psicografia’. Muitos médiuns permitem aos irmãos desencarnados escrever as suas mensagens influenciando os movimentos de suas mãos de forma livre. A letra no papel é completamente diferente da do médium e ele desconhece os personagens envolvidos nas mensagens.

Caligrafia diferenciada seria um exemplo de provas de reencarnação

A mudança de caligrafia ou modificar a forma como se escreve é para a ciência uma das provas de reencarnação. Um bom exemplo são os que conseguem em momentos especiais escrever com a mão esquerda sendo destros e quando solicitados não conseguem modificar para o estilo canhoto. Claro, existem os ambi destros mas esses são facilmente desvendados.

Nas reuniões mediúnicas é muito comum a escrita de mensagem em papel. O irmão desencarnado pode usar de sua influência energética para o médium escrever a sua mensagem. Podem ser livros inteiros ou apenas curtas mensagens, o que é mais comum. O tradicional é escrever cartas para entes queridos deixados no plano terreno como consolo e conforto da alma.

Clique aqui para conhecer mais sobre a doutrina espírita.

shadow-ornament



Entrar Para O Grupo De Membros

 seta-direitaQuero Testar! Ouça Agora e Assine! - Novos artigos e lições transformadoras!!

trofeuSou Leonardo, idealizador do Blog Canoro e quero reiterar meu convite.
Além dos artigos do blog, que são baseados nas dúvidas da nossa comunidade, temos artigos espíritas em áudio também, trechos dos livros de Allan Kardec.

  • Toda segunda-feira um resumos dos novos artigos do Portal Espírita Canoro.
  • Lições exclusivas de livros de Allan Kardec em áudio.

Conhecimento, Evolução, Aprendizado

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!>

arrow
shadow-ornament


Referências:

  • Revista Espírita
0 votes

1 comentário


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.