Como um cientista DESCRENTE se tornou o FUNDADOR do Espiritismo

//Como um cientista DESCRENTE se tornou o FUNDADOR do Espiritismo

Conhecer as origens, os valores e as bases do espiritismo é fundamental a todos aqueles que têm o desejo de se aprofundar na Doutrina Espírita, dedicando-se ao estudo do espiritismo tanto quanto ao trabalho e ao esforço no bem e na caridade – os grandes pilares da Doutrina. Como o espírito de Emmanuel disse ao médium mineiro Chico Xavier, dentro do espiritismo, é preciso “disciplina, disciplina e disciplina”, a fim de evoluirmos, unindo conhecimento e boa-vontade para a nossa caminhada espiritual. No estudo da Doutrina, é essencial saber quem foi Allan Kardec, o fundador do espiritismo, e, a partir daí, saber como surgiu o espiritismo e quando surgiu o espiritismo.

A história do espiritismo se mescla com a trajetória de Allan Kardec, um cientista descrente que, com o tempo e através do aprofundamento dos estudos mediúnicos, se tornou um dos principais – senão o principal – codificadores da Doutrina. Entender verdadeiramente a Doutrina Espírita é conhecer a história de Kardec, autor de obras maestras, como “O Livro dos Médiuns” e “O Livro dos Espíritos”, essenciais a todos os espíritas até os dias de hoje, mais de dois séculos depois de serem publicados pela primeira vez, na França.

monnet

Allan Kardec nasceu de uma família conservadora e foi educado segundo as bases da Igreja Católica. Desde jovem, apresentou-se como um curioso, o que, mais tarde, o levou a ser pesquisador das mais diversas áreas do conhecimento científico. Essa “curiosidade”, que hoje sabemos ser fruto da intuição espírita, fez com que Kardec fosse além do ceticismo comum aos cientistas daquele período histórico, que costumavam negar tudo o que estava além das provas laboratoriais, para investigar a fundo os aspectos mediúnicos e espirituais. Afinal, como um cientista descrente como Allan Kardec se tornou o fundador do espiritismo? Para responder a essa pergunta, é importante conhecer quem foi Allan Kardec e, junto a isso, entender como e quando surgiu o espiritismo.

Vejamos então:

 

Saber Mais

Quem foi Allan Kardec o Fundador do Espiritismo

O educador e pesquisador francês Hippolyte Léon Denizard Rivail, que ficou conhecido mundialmente pelo pseudônimo de Allan Kardec, o fundador do espiritismo, nasceu na cidade de Lyon, em 3 de outubro de 1804. Kardec formou-se aos 18 anos em Ciências e Letras e, desde essa época, já demonstrava sua vocação como educador, ensinando alunos mais novos e com mais dificuldades através de cursos gratuitos que ministrava pela universidade. Foi essa vocação que o fez ser o principal responsável pela reforma no ensino público francês, agregando valores filosóficos e sociais à educação da época. Como pedagogo, Allan Kardec foi um dos pilares do movimento que lutou pela democratização do ensino público francês, o que tornou a educação mais acessível às camadas populares. Segundo Allan Kardec, “a educação, se bem compreendida, é a chave do progresso moral”.

Quem foi Allan Kardec o FUNDADOR do Espiritismo

Fonte: Imagens Livres/Wikipédia

Início dos estudos espíritas – Mesas Girantes

Kardec nasceu e cresceu numa família conservadora. Desde pequeno, foi criado seguindo os valores religiosos da Igreja Católica. Na universidade, antes de se tornar o fundador do espiritismo, começou a interessar-se por fenômenos relacionados à astrologia e à anatomia que, mais tarde, seriam algumas das influências que o levaram a estudar sobre mediunidade.

Mesas Girantes

Apesar de descender de uma família religiosa, Kardec era um cientista cético e seguiu assim até maio de 1855, quando passou a frequentar reuniões que, hoje, sabe-se que eram, na verdade, sessões espíritas. Nessa época, essas reuniões eram chamadas de “mesas girantes” e, na maioria das vezes, aconteciam de forma discreta, já que não havia, nesse momento, luz sobre a doutrina e as manifestações mediúnicas.

No século XIX, as chamadas “mesas girantes” se popularizaram entre alguns estudiosos. A ideia, nesse momento, era estudar e analisar o magnetismo animal, sem necessariamente adentrar no universo mediúnico. Kardec conheceu essas mesas através de Fortier, um amigo e também pesquisador renomado no período. A partir daí, passou a frequentar as reuniões e a interessar-se pelos fenômenos que observava nos encontros, até então inexplicáveis pela ciência.

Em sua obra “O Livro dos Médiuns”, Kardec faz referência a essas mesas, afirmando que o movimento das “mesas girantes”, como se dizia na época, era nada mais que o resultado da interação dos médiuns com os espíritos já desencarnados. Ou seja, as “mesas girantes” eram os primórdios das reuniões espíritas e até mesmo dos estudos mediúnicos desenvolvidos nas Casas Espíritas que frequentamos atualmente. Provavelmente, essas reuniões não aconteciam da forma como conhecemos hoje, já que, nesse momento, não havia ainda os esclarecimentos de Allan Kardec para auxiliar os médiuns na comunicação com os irmãos desencarnados. Mais tarde, Allan Kardec descreveu os movimentos que aconteciam durante as “mesas giratórias”, como a levitação de objetos, definindo-os como “fluido perispítico”, fazendo referência ao conceito de períspirito, conceituado em suas obras anos mais depois.

 

Rivail se torna Allan Kardec, o fundador do espiritismo

A partir desse encontro inicial, Allan Kardec passou a dedicar-se à pesquisa voltada ao espiritismo. Nesse momento, adotou o pseudônimo Allan Kardec por influência de um dos seus guias espirituais, que, através da comunicação mediúnica, lhe disse que já o conhecia de outras encarnações e que, em uma delas, se chamava Allan Kardec.

Uma das maiores particularidades de Kardec – e que, sem dúvidas, fez com que ele se tornasse o fundador do espiritismo – foi a intenção de estudar as manifestações mediúnicas (e o espiritismo de modo geral) unindo os conhecimentos científicos da época à necessidade de compreender fenômenos relativos à dimensão espiritual. Em outras palavras, Kardec foi o primeiro cientista a dedicar-se inteiramente ao estudo das manifestações mediúnicas e a conseguir driblar o próprio ceticismo para receber a ajuda e a orientação de guias espirituais. É por isso que o espiritismo é considerado uma Doutrina – e não uma religião –, já que a doutrina foi fundada tendo como base estudos empíricos integrados a valores que estão além da matéria física. O espiritismo é uma doutrina filosófica, cristã e científica e Allan Kardec é o fundador do espiritismo.

Amélie Grabrielle Boudet, esposa de Allan Kardec

Nem todos sabem que o caminho de Kardec, o fundador do espiritismo, também foi marcado por inúmeras dificuldades. Deixar para trás o ceticismo e passar a dedicar-se de corpo e alma ao espiritismo foi muito difícil, afinal, até conhecer as manifestações mediúnicas nas “mesas giratórias”, Kardec estava ambientado no universo acadêmico, que, ainda hoje, é relutante em aceitar o espiritismo, as reencarnações e a mediunidade.

Amélie Grabrielle Boudet, esposa de Allan Kardec

Amélie Grabrielle Boudet, esposa de Allan Kardec, foi fundamental na sua trajetória, ajudando-o, no princípio dos estudos, a vencer o próprio ceticismo e, anos mais tarde, a propagar a Doutrina através da Revista Espírita. Quando Kardec desencarnou, no ano de 1869, Amélie Boudet – agora a senhora Kardec, como costumava dizer – assumiu a Sociedade Espírita e continuou com as atividades do marido a fim de propagar a Doutrina Espírita na França e no restante da Europa.

Como surgiu o espiritismo

Sabe-se que as manifestações mediúnicas existem há muitos e muitos anos e que são inerentes a todo espírito, seja ele encarnado ou desencarnado. Estudiosos da Doutrina afirmam que na própria Bíblia é possível encontrar inúmeros relatos que mostram manifestações mediúnicas através do diálogo de encarnados, como Moisés, e espíritos superiores. Por muito tempo, aqueles irmãos encarnados que manifestavam maior sensibilidade mediúnica foram vítimas de preconceitos, perseguições e até mesmo submetidos a cruéis tratamentos em sanatórios, tratados como pacientes vítimas de transtornos psíquicos.

A intolerância religiosa e a ignorância em relação aos estudos mediúnicos – que, infelizmente, ainda existem nos dias de hoje – foram empecilhos necessários à evolução da sociedade e se minimizaram graças à atuação de pesquisadores como Allan Kardec, que trouxeram esclarecimentos sobre o espiritismo e a vida neste planeta. Allan Kardec e sua pesquisa foram responsáveis por trazer luz ao tema e abordar o espiritismo como uma doutrina, auxiliando irmãos médiuns que não encontravam orientação religiosa e médica.

Como surgiu o espiritismo

Fonte: Imagens Livres/Wikipédia

Pensar Além do Padrão

Segundo o fundador do espiritismo, Allan Kardec, a Doutrina Espírita surge da necessidade de pensar a existência humana (ou as existências humanas) não apenas através do que é tangível, mas também por tudo aquilo que transcende a matéria física.

Allan Kardec fez a Codificação Espírita através de cinco obras fundamentais: “O Livro dos Espíritos”, “O Livro dos Médiuns”, “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, “O Céu e o Inferno” e “A Gênese”.

Cinco obras fundamentais em áudio

Após o seu regresso ao mundo espiritual, sua esposa auxiliou a publicação de obras póstumas que trouxeram novos esclarecimentos sobre reencarnação e mediunidade. Allan Kardec foi o primeiro a usar o termo “desencarnados” e a abordar, à luz da Doutrina, os conceitos de reencarnação e vidas passadas.

O método utilizado pelo fundador do espiritismo Allan Kardec para codificar a Doutrina foi, basicamente, o diálogo com espíritos desencarnados e que possuem um grau de evolução maior e com legitimidade para trazer luz à sociedade terrena. Esses diálogos foram publicados no “Livro dos Médiuns” e no “Livro dos Espíritos” e trataram de temas que vão desde o surgimento da humanidade até a existência de outros mundos, as outras “moradas da casa do Pai”. O método de perguntas e respostas trouxe luz, ainda, a temas científicos, como a glândula pineal, por exemplo, e a temas religiosos e cristãos. A partir daí, se solidificou um dos preceitos do espiritismo: “fora da caridade, não há salvação”, que resume a essência do espiritismo: a caridade.

Quando surgiu o espiritismo

A Doutrina Espírita foi fundada por Allan Kardec no século XIX. Muitos estudiosos da Doutrina consideram que o espiritismo surgiu em 1857, quando Allan Kardec publicou o “Livro dos Espíritos” e criou a primeira Sociedade Espírita oficialmente reconhecida, a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas. Nesse ano, Allan Kardec começou a se dedicar à codificação espírita, escrevendo – através da intercessão dos seus guias e mentores espirituais – as principais obras que fundamentam o espiritismo até os dias de hoje.

Quando surgiu o espiritismo

A publicação da Revista Espírita também é um marco de quando surgiu o espiritismo. A Revista, que chegou a ter milhões de apoiadores e seguidores, foi um instrumento essencial para que Allan Kardec pudesse divulgar os aprendizados que chegavam até ele pela intercessão de guias espirituais e, além disso, pudesse responder às perseguições científicas que sofria por dar luz ao espiritismo e à mediunidade em tempos em que o preconceito e a falta de informação eram muito mais explícitos que hoje em dia.

Espiritismo no Brasil

No Brasil, começou-se a falar sobre o espiritismo no final do século XIX. Nesse período, já havia no Brasil as matizes africanas e manifestações religiosas ligadas ao candomblé e à umbanda, mas o espiritismo kardecista – como alguns estudiosos definem hoje para diferenciar o espiritismo fundado por Kardec das religiões africanas – só surgiu anos mais tarde. Segundo o médium Divaldo Pereira Franco, as primeiras manifestações mediúnicas reconhecidas aconteceram em Salvador, no Estado da Bahia, em 1849. Foi também em Salvador que se criou a primeira Casa Espírita oficialmente registrada, o Grupo Familiar do Espiritismo. O Grupo foi fundado em 1865 por Teles de Menezes. Nesse ano, também foi registrada a primeira sessão espírita no Brasil.

Como em praticamente todas as partes do Ocidente, o espiritismo no Brasil se solidificou através da influência e dos ensinamentos de Allan Kardec. Com o tempo, os livros de Kardec foram traduzidos para o português e se popularizaram entre os pesquisadores e espíritas da época. Atualmente, sabe-se que Allan Kardec é o autor francês mais lido no Brasil.

Ser espírita é viver a caridade de forma plena e se dedicar com disciplina ao estudo da Doutrina. O Portal Espírita Canoro auxilia você, irmão espírita, a continuar evoluindo e aperfeiçoando os estudos espíritas através de matérias tão relevantes e essenciais como essa que você acabou de ler. Inscreva-se no nosso canal e faça parte da nossa comunidade. Fazendo isso, você receberá lições espíritas em áudio – ideais para ouvir em casa com a família ou no trânsito – e um resumo semanal dos novos artigos do nosso site. Te esperamos!

 

shadow-ornament



Entrar Para O Grupo De Membros

 seta-direitaQuero Testar! Ouça Agora e Assine! - Novos artigos e lições transformadoras!!

trofeuSou Leonardo, idealizador do Blog Canoro e quero reiterar meu convite.
Além dos artigos do blog, que são baseados nas dúvidas da nossa comunidade, temos artigos espíritas em áudio também, trechos dos livros de Allan Kardec.

  • Toda segunda-feira um resumos dos novos artigos do Portal Espírita Canoro.
  • Lições exclusivas de livros de Allan Kardec em áudio.

Conhecimento, Evolução, Aprendizado

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!>

arrow
shadow-ornament


Fontes

  • O Livro dos Espíritos – Allan Kardec
  • O Livro dos Médiuns – Allan Kardec
  • As outras vidas de Kardec – Celso Martins
  • Estudos Espíritas – Divaldo Pereira Franco
  • História do Espiritismo – Sociedade Espírita Amigos de Chico Xavier
1 vote
2017-06-23T14:29:26+00:00
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Reforma Íntima DEFINITIVO